segunda-feira, 31 de outubro de 2016

A importância do diálogo nas intervenções de restauro - Parte II





As imagens que vemos acima é do Sir John A. MacDonald Building localizado na cidade de Ottawa-Canadá após uma intervenção de restauro realizada em 2015. 

O edifício antigo, que combina art deco com a beaux arts, foi projetado nos anos 30 do séc. XX pelo arquiteto Ernest Barott à pedido do Banco de Montreal. Nos anos 1980 ele é reconhecido como Patrimônio Cultural e nos anos 2000, à pedido do governo, ele passa a atender às funções do parlamento canadense.

O que podemos observar neste projeto é que o anexo proposto pela intervenção de restauro dialoga com a edificação pré existente e, ao invés de se impor ao bem cultural, ele o valoriza e o integra aos novos tempos. A escala, o gabarito, a proporção, o material de acabamento utilizado no novo prédio ao mesmo tempo que respeita o antigo insere um partido arquitetônico contemporâneo.

Abaixo segue frase que me foi repassada, em função do último post, por uma colega arquiteta.

"Os conceitos e modos de preservação são questionados e discutidos, na busca de um equilíbrio. Sempre está presente o dualismo entre continuidade/ conservação e progresso/ modernização/ criação. A conservação pode tender, de certa forma, a inibir a criação, mas em contrapartida, a falta de consideração para com o patrimônio histórico pode apagar as bases históricas do conhecimento, que são indispensáveis a toda criação contemporânea e à inovação."

Beatriz Mugayar Kühl
Arquitetura do Ferro e Arquitetura Ferroviária em São Paulo. Reflexões sobre a sua Preservação - pag. 209.

*Imagens da web - acesso em outubro-2016
Postado por Cristiane Py

Nenhum comentário:

Postar um comentário