segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Inspirações para o "Minhocão" de São Paulo

Há algum tempo vem se discutindo sobre o fim do Elevado Presidente João Goulart, antes nomeado Elevado Costa e Silva e mais conhecido como Minhocão em São Paulo. Construído em 1971 para fazer a ligação entre a região leste e oeste,  ele se tornou uma discussão em debate.

Demolir ou transformar em um parque linear?

No caso de Nova York, a prefeitura optou em transformar parte da High Line, uma ferrovia elevada construída entre 1929 e 1934 e abandonada desde 1980, em um parque linear. Essa via elevada foi construída para transporte de cargas entre os armazéns e os navios e na época de sua construção diminuiu o congestionamento e acidentes entre os trens, veículos e pedestres.

High Line - NY
No caso do Rio de Janeiro, a prefeitura optou em demolir o Elevado da Perimetral, uma das mais importantes vias da cidade que começou a ser construída em 1950. Sua construção foi sempre criticada pois, além de vários estudos mostrarem falhas de projeto, a construção havia mudado a ambiência do Cais do Porto bloqueando a vista da cidade.
Vista Praça XV com a Perimetral - RJ
Vista Praça XV revitalizada sem a Perimetral - RJ
Abaixo imagem do Minhocão sendo usado como parque aos domingos.

Minhocão - SP
* imagens da autora e da Web - acesso em set/2016

Postado por Cristiane Py

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Tecnologia à favor do Patrimônio Edificado



A imagem acima é uma Nuvem de Pontos da Igreja Armamar (Portugal) feita por levantamento a Laser Scan. A imagem está colorida pois as informações da Nuvem de Pontos foram cruzadas com o registro 360o HD de fotografias. Essa tecnologia consegue fazer um as built 3D completo de informações em poucas horas de trabalho em campo. 

A Nuvem de Pontos e o registro das imagens são feitos por equipamentos distintos mas simultaneamente, por isso, além da Nuvem de Pontos, o trabalho em campo também fornecerá, em poucas horas, um levantamento fotográfico completo da edificação ou do sítio histórico.

Após esse levantamento à laser caberá ao profissional transformar a Nuvem de Pontos em desenhos gráficos 2D ou 3D para programas como AutoCad e Revit. Essa etapa do processo requer mais horas de trabalho.

Os primeiros levantamentos a laser realizados no Patrimônio Cultural Edificado Brasileiro foram executados por profissionais estrangeiros mas, felizmente, essa tecnologia já está disponível aqui no Brasil e nosso escritório já está oferecendo esses serviços em obras de retrofit e restauro.

A tecnologia à favor do Patrimônio Edificado!!!!

* imagens da web - acesso em set/2016

Postado por Cristiane Py

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Frase inspiradora:

" ...ao considerar os habitantes como parte fundamental do patrimônio cultural, compromete-se o reconhecimento da necessidade de mudança, de adaptação de edifícios e áreas urbanas a novas necessidades, novos hábitos, transformações funcionais da cidade etc. Por isso, o congelamento de situações edificadas ou urbanas não pode ser a meta da preservação, colocando-se a necessidade de encontrar, para cada caso, a solução que permita o delicado equilíbrio entre preservação da identidade e mudanças."

Marina Waisman

* O interior da História - pág. 187

Postado por Cristiane Py

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Museu do Ipiranga x tinta sintética



Ontem, 7 de setembro, foi comemorado no Brasil o dia da Independência e não podemos deixar de falar do Museu Paulista da Universidade de São Paulo, mais conhecido como Museu do Ipiranga.

Inaugurado em 1895 como um monumento-edifício em homenagem a Independência do Brasil, o Museu do Ipiranga se encontra fechado desde 2013 devido ao péssimo estado de conservação. Sua reabertura, após as obras de restauro incluindo a acessibilidade, está prevista para 2022.

Os problemas de degradação no Patrimônio Cultural Edificado são geralmente causados por falta de uso, falta de manutenção periódica e o uso de materiais incompatíveis com a estrutura e as técnicas originais. No caso do Museu do Ipiranga os dois últimos itens foram o que aceleraram a sua  forte deterioração.

A edificação, em estilo eclético, foi construída com tijolos cerâmicos, uma novidade na época que as construções paulistas eram feitas de taipa de pilão, e as argamassas e os acabamentos foram feitos a base de cal.

A pintura a base de cal, conhecida como caiação, tem como característica principal permitir que  a alvenaria e os rebocos transpirem,  evitando o acúmulo de sais solúveis.




Nas últimas décadas o museu recebeu pinturas com tintas sintéticas que criaram uma película impermeável impedindo a evaporação dos sais que acabaram se cristalizando no interior dos revestimentos causando tensões internas. Muitas das patologias existentes, como a soltura dos rebocos,  foram causadas pelo uso de tinta não apropriada.



Trabalhar em um pré-existente é um desafio para o profissional arquiteto pois exige um conhecimento aprofundado da edificação que está sendo revitalizada ou restaurada (em casos de bens culturais).

O conhecimento da técnica e materiais adotados, da tipologia, do valor histórico (em todo o decorrer da existência da edificação) e do valor social são itens indispensáveis para a tomada de um partido arquitetônico que dará as diretrizes do projeto e cabe ao profissional responsável por qualquer intervenção em bens culturais um sólido conhecimento sobre a edificação pré-existente.

Para mais aprofundamento em argamassas tradicionais veja o livro de  Maria  Isabel Kanan



* Imagens da autora e da web - acesso em set/2016
* croquis - manual prático Cristiane Py
* para mais informações sobre o Museu Paulista acesse: www.museudoipiranga.com.br


postado por Cristiane Py